Blog para a comunidade budista virtual em língua portuguesa.

Archive for the ‘Ensinamentos’ Category

Lama Denys em Portugal

A Sangha Rimay Lusófona, em colaboração com a Sangha Rimay Internacioal, com o Projeto Filosofia e Religião (FLUL) e com o apoio da União Budista Portuguesa, está a organizar a vinda do Lama Denys Rinpoché a Portugal. O Lama Denys Rinpoché virá acompanhado pelo Lama Mingyour e permanecerá em Portugal de 27 de Novembro a 1 de Dezembro.

Mais informações em Sangha Rimay Lusófona

Como gerir conflitos

 

 

 

 

 

 

 

Conferência pública de Khenpo Tseten, subordinada ao tema “Como gerir os conflitos”.

Organização: Núcleo de Estudo do Dharma de Leiria (http://nucleodharmaleiria.wordpress.com/)
Data: 3 de Dezembro de 2009
Local: Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Instituto Politécnico de Leiria – Auditório 1
Contribuição: 5€
Mais informações: dharma.leiria@gmail.com

A palestra será em inglês, com tradução para o português por Tsering Paldron.

Localização da Conferência:

Ver Conferência – “Como gerir os Conflitos” – 3.12.2009 num mapa maior

Viver e Morrer com Khenpo Tséten

lopon_temple2smallKhenpo Tséten, mestre de estudos no mosteiro Shechen, no Nepal, dará ensinamentos em Portugal em Dezembro.

No Porto, orientará um seminário sobre o tema Viver e Morrer”.

Local: Centro Yantra – Rua Sacadura Cabral, 52 Porto

Data e hora: Sábado, 5 de Dezembro, das 15h às 17h30 – Domingo, das 11h às 17h (com intervalo para almoço)

Contribuição: €60 (€50 para membros da UBP e alunos do Centro Yantra)

Para se inscrever, basta enviar um email com nome e número de contacto para ubporto@gmail.com

Khenpo Tséten nasceu em Thimpu (Butão) em 1974. No início dos anos 90 integrou o mosteiro Shechen no Nepal. Em 2000 terminou brilhantemente os seus estudos no Shedra (universidade monástica) do mosteiro. Shétchen Rabjam Rinpotché, abade do mosteiro, confiou-lhe a responsabilidade do Shedra, que assumiu durante três anos. Em 2006, o então Leupon Tséten começou a ensinar na Europa, em especial em Nyima Dzong, mosteiro da Ogyen Kunzang Chöling e em Humkara Dzong, no Algarve. Mais recentemente, foi entronizado Khenpo no mosteiro de Shechen. Em 2009, tem vindo a Portugal regularmente para dar palestras e ensinamentos.

Prática em Cucujães

dscn8873

Um abraço a todos e um muito obrigado por mais um dia fantástico:

Meditação em Cucujães

Conselhos do Karmapa


SS Karmapa dá-se conta que muitos praticantes já recebem inúmeros ensinamentos e instruções dos mestres, muita informação, mas falta-nos a capacidade de obter instruções das nossas próprias mentes de sabedoria e que deveríamos aprender a fazê-lo mais espontâneamente. Acrescentou que deveríamos tornar-nos professores de nós mesmos  – e não contar apenas com as instruções dos nossos gurus. Deveríamos cultivar a capacidade de relaxar/descontrair a mente e aprender a ouvir-nos.

“Dicas” de prática de SS o 17º Karmapa
Tal como nós, SS o Karmapa não tem muito tempo para prática formal e deu os seguintes conselhos aos estudantes do Dharma:

  • O estudo é necessário para a prática, mas não deve ficar apenas ao nível das palavras e intelecto. A prática deve mudar os nossos hábitos, a qualidade dos nossos corações e mentes de dia para dia – deve elevar os nossos corações.
  • A continuidade da prática é importante. Uma resolução, uma decisão firme leva à continuidade. Devemos conservar a mesma motivação básica quotidianamente – e renovar essa decisão regularmente. Esta decisão não deve ser mais um pensamento, mas uma intenção poderosa e profunda. Corpo, palavra e mente, devem ser guiados por esta decisão sincera e altruista.
  • A atenção plena (mindfulness) é essencial. Uma atenção vigilante deve guardar a mente. Suportes e “lembretes” externos também podem ajudar.  Devemos verificar e renovar a nossa atenção plena de hora a hora ou pelo menos três vezes ao dia.
  • Há imensos rituais, mas o importante é ser simples e claro e consistente, e concentrar-se nos pontos principais da prática  e numa vida com sabedoria e compaixão. A palavra sânscrita puja significa oferenda, ou seja, trazer alegria e delícia. E a melhor oferenda é um mundo purificado, livre de problemas, de sofrimento, de violência, de negatividade e com todas as qualidades positivas e possibilidades perfeitas. Portanto, na nossa imaginação transformamos o mundo num reino puro  – tanto o ambiente como os seres sensíveis – e fazemos disso a nossa oferenda. Pensem nisso, imaginem isso, que essa seja a vossa intenção e tragam a isso a vossa decisão de ajudar. Esta é um oferenda verdadeiramente feliz e sublime.
  • O principal dever de um estudante é “imitar” e desenvolver as boas qualidade do guru. As faltas ou defeitos do guru não dizem respeito ao estudante. Hoje em dia, todos os gurus possuem qualidades positivas e negativas. Portanto devemos preocupar-nos em desenvolver as qualidade positivas em nós mesmos . E se o guru apenas tivesse qualidades positivas, poderíamos não beneficiar disso pois poderíamos não conseguir relacionar-nos com ele .
  • Ao reflectir-nos sobre o sofrimento, a compaixão aumenta a nossa felicidade e paz de espírito. Mas sem a compaixão, ao reflectirmos sobre o sofrimento, vamos sentir-nos mal ou receosos. Talvez seja mais fácil sentir compaixão por aqueles que estão no nosso campo visual. Quotidianamente, ouvimos falar de sofrimento em vários lugares do mundo, temos consciência do sofrimento,  mas nem sempre sentimos compaixão ou queremos libertar os outros do sofrimento. Temos de nos questionar sobre como a consciência do sofrimento pode dar lugar a uma compaixão forte e genuína.

Podemos  cultivar a compaixão mesmo quando estamos sós. Por exemplo, podemos imaginar a compaixão a expandir-se a partir do nosso corpo. Quando sopra um vento violento, o Karmapa disse que imagina o vento a levar a compaixão aos outros,  a tocar todos aqueles que o vento toca. Quando vê nuvens, imagina a compaixão a tocar todos os que também virem aquelas nuvens. Temos de ser criativos ao cultivar a compaixão.

adaptação do blog de Lama Surya Das

Khenpo Tseten no Porto

Ricardo Sasaki de novo em Portugal

3330750344_74972d9e55A convite do E-Dharma, o professor Ricardo Sasaki, da tradição Theravada (comunidade Nalanda), estará de novo em Portugal e dará ensinamentos no Porto, de 16 a 19 de Maio.

Retiro de 15 a 17 de Maio 2009

Tema: “Como Nascemos para o Sofrimento” – neste retiro vamos explorar juntos um outro tipo de nascimento, como nos envolvemos nele e como entendermos melhor nossas vidas. Para isso usaremos da investigação e da prática meditativa (samatha-vipassana) transmitidas pelo Buddha, num ambiente de reflexão, silêncio e tranquilidade. Tanto quem nunca meditou, como aqueles já com experiência são bem-vindos para este retiro.

Local: Casa de retiros Santa Paula Frassinetti, Rua do Colégio do Sardão, 365, Oliveira do Douro, V. N. Gaia

Chegada: Sexta dia 15 entre as 19h e as 20h (aconselhável, sobretudo para quem vier de longe); ou sábado às 8h30
Partida: Domingo pelas 18h00
Condições: Quartos individuais, alguns com casa de banho a partilhar; refeições vegetarianas
Contribuição: €110 (inclui refeições e alojamento)

Informações e inscrições: eventos.edharma.org@gmail.com
tlm 91 104 8112 (de segunda a sábado das 16h às 19h ou envie sms p.f.)

Mini-Curso 18 e 19 de Maio

Tema: “Andando mais leve” – duas noites de meditação e reflexão, explorando nossa vida diária, iluminação e o olhar contemplativo.
Local: Clube Literário do Porto, Rua Nova de Alfândega, 22
Data e horários: segunda e terça, dias 18 e 19 de Maio, das 19h30 às 22h00
Contribuição: €40
Informações e inscrições: eventos.edharma.org@gmail.com
tlm 91 104 8112 (de segunda a sábado das 16h às 19h ou envie sms p.f.)

Organização: E-Dharma, o Budismo na Net

Nota: se não puder participar devido ao custo, queira contactar-nos.

Nuvem de etiquetas