Blog para a comunidade budista virtual em língua portuguesa.

Poesia Zen

a lua da montanha
gentilmente ilumina
o ladrão de flores

Issa

lábios pintados
esquecidos –
água límpida da nascente

Chiyo-ni

delicada, tão delicada
a haste inclina-se debaixo do orvalho –
pequena flor amarela

Basho

como um regato
a abrir passagem
pelas fendas cobertas de musgo
também eu, tranquilamente
me torno claro e transparente

Ryokan

farto disto, seja lá como se chama
farto dos nomes
dedico cada poro ao que está aqui

Ikkyu

os sábios não sabem mesmo nada
bom, talvez uma canção

Ikkyu

Oh sim, as coisas existem
como o eco quando gritas no sopé
de uma imensa montanha

Ikkyu

Acerca da não dependência da Mente

pássaros de água
vão e vêm
os traços desaparecem
mas nunca
esquecem o caminho

Dogen

Acerca do Tesouro do Verdadeiro Olho do Dharma

Ondas recuam.
Nem sequer o vento amarra
um pequeno barco abandonado.
A lua é uma marca brilhante
da meia-noite

Dogen

Reclusão da Montanha

Nem sequer me detenho
no regato do vale
com medo que
a minha sombra
possa correr para o mundo

Dogen

tradução: Margarida Cardoso

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: