Blog para a comunidade budista virtual em língua portuguesa.

O doador deve ficar agradecido

400570234_28e92763ceHá uma história Zen lindíssima sobre a generosidade.

O Mestre Zen Seitsu necessitava de uma grande oferenda pois o edifício em que ensinava era já demasiado pequeno. Um comerciante rico, Umezu, decidiu doar 500 moedas de ouro para um novo edifício. Umezu ofereceu o dinheiro ao Mestre Seitsu e este disse, “Está bem, fico com isso.” Assim, Umezu deu o ouro, mas ficou muito incomodado com a atitude do Mestre Seitsu, já que a quantia que tinha oferecido era muito elevada, podia-se viver um ano inteiro com 3 moedas de ouro e Seitsu nem sequer lhe tinha agradecido.

Umezu insistiu, “Nesse saco estão quinhentas moedas de ouro.” “Já me disseste isso,” respondeu Seitsu. “Embora eu seja um homem rico, quinhentas peças de ouro é muito dinheiro,” disse Umezu. “Queres que eu te agradeça por isso?” perguntou Seitsu. “Seria conveniente,” replicou Umezu. “Por que o deveria fazer?” disse Seitsu, “O doador deve ficar agradecido”.

Isto é mais do que uma história divertida, na verdade é um poderoso kohan. Mestre Seitsu, conhecendo muito bem o seu benfeitor, constrói-lhe uma barreira: o doador deve ficar agradecido. Não sabemos qual a resposta de Umezu e se ele ultrapassou a barreira. E quanto a nós? Adoro este kohan pelas voltas que me faz dar. Que espécie de doador sou eu? A quem é que eu dou? O que é que eu dou? Recuso? Ofereço sem ideias preconcebidas, ou estou à espera de gratidão e reconhecimento? O que é dar? O que é uma dádiva? O que é a perfeição de dar?

A primeira perfeição daqueles que pretendem percorrer o caminho do despertar é a prática da generosidade (dana). As histórias das vidas anteriores de Buda Shakyamuni narram as inumeráveis vidas em que praticou a generosidade. A generosidade, o acto de dar e receber, é uma prática fundamental para viver uma vida desperta.

No acto de dar, vamos imediatamente ao encontro de todos os aspectos do Ego, do outro, da oferta – e ao nosso profundo apego a preservar-nos como separados de toda a vida. Portanto a prática da perfeição mergulha-nos directamente no âmago da questão sobre a verdadeira natureza da vida.

No koan, não é difícil estar na posição do mercador Umezu, que se sente ligado à sua dádiva, à maneira como é recebida e que procura enaltecer a sua reputação e o seu mérito. É fácil porque muitos de nós experienciamos isso mesmo a níveis mais ou menos grosseiros. Podemos compreender esses lugares em Umezu pois há pouca diferença, se é que há alguma, entre a sua conduta e a nossa.

Mas como compreender Mestre Seitsu? O Mestre Seitsu afia a sua espada ao perguntar a Umezu, “Queres que eu te agradeça por isso?” É maravilhoso! Ele torna a situação transparente. Mas Umezu, de uma forma que todos nós entendemos, está completamente enredado em si próprio e não consegue ver o que lhe está a ser oferecido. A espada veloz de Mestre Seitsu corta abertamente. Nós também nos tornamos transparentes para connosco e podemos cortar através do sofrimento que as nossas tendências habituais nos trazem ao reforçar o ego. As escrituras de Prajna Paramita dizem que a perfeição de dar é atingida quando se dá sem ver o ego, um recipiente, ou a dádiva, ou nenhuma recompensa por dar. A dádiva é para todos, e o acto de dar é dedicado à iluminação suprema de todos nós. Desta forma, somos lembrados da nossa prodigiosa natureza: a perfeição de dar é, na realidade, toda a vida – tão continuamente e indiscriminadamente oferecida.

Mestre Dogen diz que “Quando se aprende realmente a dar, nascer e morrer, tudo é generosidade.” Respirar é generosidade, fazer uma estrada, educar uma criança, deixar a vida revelar-se, não rejeitar o que é – tudo isto são actos de oferenda. Na verdade, não há nada que dar não atinja, e não existe nada que não seja oferecido. Generosidade é o que nós intrinsicamente somos, nós somos dádiva, dador, recebedor e assim praticamos receber.

O mercador Umezu deu um oferenda. Não devemos esquecer-nos deste ponto importante: ele deu. Não nos devemos conter só por achar que não o estamos a fazer “bem”, ou que somos insignificantes. Dogen Zenji diz que o tamanho da nossa oferenda não interessa, o que interessa é que o nosso esforço seja genuíno.

A oferenda deste momento leva-nos a ir para além das nossas auto-impostas limitações e dá-nos a oportunidade de, por exemplo, quando de repente nos sentimos irritados, como acontece frequentemente ao longo do dia, podermos imediatamente praticar a generosidade. Alguém contou há pouco tempo que o seu habitual modo de estar é o de irritação com quase tudo. Um dia, conduzia na auto-estrada e um outro condutor barrou-lhe o caminho. A sua reacção imediata foi raiva, mas depois, eu consigo a pensar: “o outro condutor precisa de mais espaço”. Então abrandou e deu-lhe mais espaço. Isto é generosidade imediata.

Devemos agradecer a todas as circunstâncias e pessoas que nos põem à prova, que nos restringem, pois sem elas não há prática nem oportunidade de nos transformar. E todos os dias, podemos fazer uma oferenda simples, e dedicá-la à libertação de todos os seres. O Mestre Seitsu aconselha-nos a não sermos gananciosos e a ver que em todos os actos generosos nós próprios somos os principais beneficiados, e muito para além daquilo que imaginamos. De facto, o doador deve ficar agradecido!

11 de Abril de 2004

Palestra de Sensei Wendy Egyoku Nakao. Nascida em Honolulu, de origem luso-japonesa, Wendy Lou Nakao frequentou a Universidade de Washington em Seattle, formando-se em Estudos Asiáticos. Em 1978 mudou-se para o centro Zen de Los Angeles para estudar com Taisan Maezumi Roshi, tendo sido assistente pessoal de Maezumi até à morte deste em 1995. Em 1996 recebeu a transmissão do Dharma de Roshi Bernard Tetsugen Glassman e assumiu a responsabilidade do centro Zen de Los Angeles em 1997. É um dos membros fundadores da Zen Peacemaker Order.

“Let us vow to remember the causes of suffering and to practice an end to suffering.
I shall accept all that I cannot change, and let my heart be broken.”

trad. Margarida Cardoso

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

%d bloggers like this: